2010: Ano da Palavra! Ano de construção e reconstrução!

Neste texto extraído da última edição da Revista Renovação, o presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL, Marcos Volcan, faz um balanço do ano de 2010 na vida do nosso Movimento. Um ano cheio de graças para a Renovação Carismática. Confira!

Revista Renovação: Marcos, nós começamos 2010 falando em “reconstrução de muralhas”. Quando um Movimento eclesial consolidado como a RCC, que vai completar quarenta e quatro anos de existência, fala em reconstrução, o que ele está propondo aos seus membros?

Marcos Volcan:
É comum em vários momentos fazermos uma revisão de nossa vida pessoal. Por exemplo, a gente estabelece metas individuais a serem alcançadas nos estudos ou profissionalmente. E, de tempos em tempos, avaliamos se esses objetivos foram ou não alcançados como programamos. Revisamos nossa vida. A Renovação Carismática Católica também se avalia. E isso é necessário. Quando a gente fala em reconstrução, não é porque está tudo desmoronando. Somos um Movimento muito dinâmico, que está em processo permanente de construção. É por isso que a Renovação para e reflete fortemente sobre si mesma. Não é algo novo para nós. A RCC já fez isso em alguns outros momentos de sua vida. Há alguns anos falamos da Ofensiva Nacional. Um grande projeto! O que significou a Ofensiva Nacional? Um momento de parar, rever e andar para frente. A Renovação, neste momento, está se revisando e ela se inspira no Profeta Neemias que reconstruiu os muros de Jerusalém. Nós entendemos que precisamos também nos reconstruir, nos reformar internamente, nos rever como Movimento. Precisamos tapar as brechas, ver onde estamos vulneráveis para crescermos, melhorarmos, darmos mais frutos.

Revista Renovação: Mas qual a proposta de reconstrução?


Marcos Volcan:
Esse processo que chamamos de reconstrução é essencialmente espiritual, significa algo muito profundo que é a busca da santidade, de sermos santos, homens e mulheres que fazem a vontade de Deus aqui neste mundo. Isto não é fácil. Nós dependemos do Espírito Santo que é enviado para dar continuidade à obra que Jesus mesmo disse que o Paráclito haveria de completar e fazer. Devemos ser os difusores da ação do Espírito neste tempo. Algo que está na essência de nosso Movimento e se desdobra numa expressão que temos usado muito e que precisa ser amplamente entendida e aprofundada: Cultura de Pentecostes. Queremos implantar uma nova cultura, um novo modo de viver no mundo. Já falamos muitas vezes sobre isso, mas estamos conscientes que essa meta merece ser oportunamente revisada, constantemente ensinada e aprendida.

Revista Renovação: Tempo de reconstrução, mas também de construção… 2010 foi um ano cheio de novidades na vida da RCC: construção da Sede, Educação a distância, Encontros Regionais…

Marcos Volcan:
A Nossa Casa, ou seja, a Sede Nacional do Movimento, o Instituto de Educação a Distância (IEAD) e os Encontros Regionais se inserem dentro de um contexto amplo que é o Planejamento Estratégico. A Sede Nacional vem há um longo templo sendo planejada – desde 2005 tem sido objetivamente pensada. Naquela época, nós falávamos muito em termos um Centro de Formação. Deus ampliou nossa visão a esse respeito. Percebemos que o Centro deveria fazer parte de um projeto maior: a Sede da RCC, e ser um lugar de referência da nossa espiritualidade. É por isso que nesta casa, como todos sabem, além do Centro, vai funcionar também nosso Escritório Administrativo, local em que a Renovação organiza a sua vida e sua estrutura. Também teremos capelas, locais para eventos e hospedagens, enfim, mais espaços para desenvolvermos uma série de atividades dentro de nossa identidade.

Revista Renovação: E sobre Educação a Distancia, o que levou o Movimento a investir nessa área?

Marcos Volcan:
O Instituto de Educação a Distância (IEAD) foi pensado para suprir uma demanda imediata, ou seja, a necessidade de termos um curso sobre a Bíblia no ano em que a RCC reflete sobre a Palavra de Deus. A ideia era pequena, foi lançada como uma semente, mas tornou-se um pouco maior e ganhou visibilidade. No mesmo contexto do ano da Palavra, oferecemos o curso de Formação de Pregadores. Tivemos também um curso rápido dentro do contexto da Campanha da fraternidade no qual trabalhamos o Ensino Social da Igreja, focando o tema economia. Não esperávamos ter tantos alunos e tantas turmas já formadas. Percebemos que temos um trabalho amplo para ser feito e, graças a Deus, temos conseguido crescer.

Revista Renovação: Por que foram realizados os Encontros Regionais?

Marcos Volcan:
O trabalho realizado nos Encontros Regionais foi muito forte. Em dez pontos, geograficamente estratégicos do país, aconteceram os encontros para que todos os estados pudessem participar. Ali se reuniram as lideranças e elas foram encorajadas, motivadas a assumir seu papel, que é coordenar o Movimento nas suas diferentes instâncias: estaduais, diocesanas ou de Grupo de Oração. Todos foram incentivados a assumir a identidade e os projetos da RCC, pois sabemos que muitas vezes o coordenador não os assume porque não conhece a vida do Movimento. A nossa ida até essas regiões com uma equipe do Conselho Nacional foi uma grande maratona de três meses que teve como objetivo informar os coordenadores de todos os detalhes da vida da RCC e esclarecer o que cada um pode fazer para se inserir da forma mais ampla possível dentro desses trabalhos. E foi o que aconteceu! Graças a Deus tivemos um grau de engajamento e envolvimento de lideranças como dificilmente vimos antes.

Revista Renovação: Nesses encontros, um dos destaques foi justamente o Planejamento Estratégico. Qual a importância dele nas diferentes instâncias da RCC?

Marcos Volcan:
O Planejamento Estratégico, que está sendo implantado, tem uma importância muito significativa. Lembro que o Planejamento é fruto de um trabalho feito durante dois anos de analise de nossa realidade. Ele começou a ser colocado em prática este ano e deve ser desenvolvido até 2017, quando completaremos cinquenta anos de existência como Movimento, porque queremos preparar a RCC para o seu Jubileu de Ouro. Um dos grandes frutos deste Planejamento é a unidade. Nós não podemos como Movimento do tamanho que somos no Brasil, presente praticamente em todas as dioceses, cada um agir baseado apenas naquilo que pensa ser o certo. Precisamos trabalhar em comunhão. Então, a Renovação Carismática, quando organiza um Planejamento, o faz para viver a unidade, como Igreja – como parte do corpo de Cristo – e, também, promover a comunhão entre suas diferentes instâncias de engajamento: nacional, estadual e diocesana. Somos gratos a Deus porque o Planejamento está em pleno andamento. As reuniões com as coordenações regionais foram muito importantes para conscientizá-las de que temos metas e objetivos. Temos uma missão e uma visão para colocarmos em prática.

Revista Renovação: Já estamos vendo os frutos deste trabalho no sentido de vivermos melhor nossa identidade e em unidade?

Marcos Volcan:
Neste ano de 2010, em torno da Palavra, executamos muitos projetos. Esses projetos, graças a Deus, têm sido bem divulgados. Nosso portal na internet, a revista Renovação, e também nossos eventos têm sido muito bem utilizados pelo nosso Departamento de Comunicação para dizer o que estamos fazendo em cada área do Planejamento. Eu tenho pouco espaço aqui para explicar todas as etapas do planejamento, mas cito como exemplo o “Projeto Amigo de Deus”. Este projeto faz parte do Planejamento estratégico e já começou a ser executado. Veja quantos frutos estamos colhendo a partir da retomada, em unidade, das práticas espirituais! A nossa Sede Nacional, como comentei há pouco, já começou a ser construída, e abrigará nosso sonhado Centro Nacional de Formação. Isso tudo foi bem planejado. Nós temos construtores espalhados em todo Brasil, pessoas que arrecadam, pessoas que divulgam. Nós temos novas casas de missão: na Ilha do Marajó temos duas casas, uma no município de Breves e outra em Afuá. Em Canas, onde está sendo construída a Sede Nacional, temos uma casa de missão e, em Pelotas, onde fica localizado o Escritório Nacional, abrimos uma quarta casa de missão. Isso tudo é fruto do Planejamento Estratégico. Graças a Deus o Escritório Nacional esta à frente dessas ações com um corpo de funcionários que as executam.

Revista Renovação: O planejamento passará por avaliações?

Marcos Volcan:
É importante sempre salientar que o Planejamento Estratégico é o resultado de um trabalho que passou pelo discernimento do Conselho Nacional. No começo deste mês de novembro, na reunião ordinária do Conselho Nacional, vamos avaliar o que aconteceu este ano. Nessa avaliação, vamos ver o que poderíamos ter feito e não conseguimos, o que foi bem feito e o que precisa ainda ser feito. A cada ano este Planejamento será reavaliado. No ano que vem, por exemplo, ele vai ser pensado na perspectiva do novo tema, que numa linha de continuidade ainda será em torno da Palavra, mas missionário: “Por causa de tua Palavra, lançaremos as redes”. Ou seja, este tema vai dar uma nova perspectiva para o Planejamento Estratégico. Veja como é interessante perceber que a cada ano o Espírito Santo amplia a nossa visão, dando-nos um novo olhar para a realidade. O Planejamento Estratégico é uma bênção e deve ser constantemente avaliado e colocado em prática.

Revista Renovação: Percebe-se que cada vez mais a RCC investe em comunicação. É uma estratégia?

Marcos Volcan:
Sim, a RCC está investindo muito em comunicação porque percebe que essa área também é estratégica. Nosso trabalho se desenvolve dentro de um país de dimensões continentais. Além disso, temos missões no âmbito da América Latina e do mundo. Nós precisamos, portanto, investir em comunicação para encurtarmos distâncias. Ações que antigamente dependiam do deslocamento de pessoas, de viagens, hoje podem ser feitas por meio da internet como o envio de e-mails, através da Educação a distância ou WebTV. Também temos programas de TV em emissoras católicas. Louvamos a Deus porque percebemos isso a tempo e estamos investindo o melhor de nossos recursos nessa área. Ela é estratégica, reafirmo, e é uma bênção de Deus, porque a comunicação, claro, pode ser mal usada, e temos infelizmente visto isso acontecer de diversas formas, mas nós queremos fazer o bom uso destes meios. O Evangelho precisa deles! Jesus foi um grande comunicador. Por isso, estamos investindo boa parte de nossos recursos nessa área como tem sido amplamente divulgado e, graças a Deus, isso tem nos dado um retorno muito grande. Através dos instrumentos que dispomos, as pessoas estão se conscientizando cada vez mais sobre o que é a Renovação Carismática. Os membros da Renovação Carismática estão descobrindo mais e melhor o que o Movimento faz e o que a RCC espera deles.

Revista Renovação: Na sua avaliação, como a temática do ano, centrada na Palavra de Deus, foi vivenciada pela RCC do Brasil?

Marcos Volcan:
“Proclama a Palavra, anuncia a Boa Noticia” foi vivenciado de forma intensa. Nós tivemos a oportunidade, através dos Congressos Estaduais e do Nacional, de reunir os membros do Movimento em torno desta moção. Além disso, percebemos que os encontros promovidos pelos ministérios e muitas formações oferecidas nas dioceses também abordaram essa temática. A Igreja, através da Assembleia dos Bispos em Itaici/SP, refletiu sobre a Bíblia e também tivemos o Sínodo da Palavra em Roma. Isso nos alegra porque, além de marcar profundamente a nossa eclesialidade, esse tema traz à tona algo que é próprio de nossa identidade: viver a Palavra. Nós testemunhamos também muitos Grupos de Oração retornarem à riqueza do uso da Sagrada Escritura. A Lectio Divina, que já é um hábito para muitos membros da Renovação, também incentivada no Projeto Amigos de Deus, teve sua força renovada. Os frutos são muitos! E acredito que eles ainda estão na forma de semente, mas nos próximos anos vamos ver muitos outros frutos que serão resultado deste ano de trabalho em torno da Palavra de Deus.

Revista Renovação: Recentemente foi eleita a nova coordenação do CONCCLAT e o senhor foi escolhido o vice-presidente deste Conselho. Explique-nos qual o papel do Conselho Carismático e os principais desafios do Movimento na América latina.

Marcos Volcan:
O CONCCLAT é o Conselho Carismático Latino-Americano que tem a grande missão de promover a unidade entre os diversos países de nosso continente. Ele também estabelece um diálogo e se articula promovendo a comunhão eclesial com o CELAM – Conselho Episcopal Latino-Americano. O CONCCLAT tem grandes desafios e o principal deles é nos situar dentro da grande missão continental, a partir da Conferência de Aparecida realizada aqui no Brasil em 2007. A Renovação Carismática é um Movimento que evangeliza, e a Igreja nos chama a esta missão, por isso, nós também sentimos um grande dever de nos inserirmos nesse projeto Existem muitos projetos e nós temos uma nova coordenação no CONCCLAT. Essa nova presidência deverá, a partir do que foi decidido em nossa ultima reunião que aconteceu em Lima no Peru, definir os rumos para o Movimento em âmbito latino-americano.

Revista Renovação: E como está a organização da RCC na América Latina?

Marcos volcan:
Não temos um planejamento tão organizado como alguns países têm, por exemplo, como o Brasil que citei há pouco. Mas existem linhas e objetivos gerais que são traçados a cada dois anos, quando acontece um ECCLA (Encontro Carismático Católico Latino-Americano). Foi o que aconteceu no Peru, no início de outubro deste ano: uma reunião do CONCCLAT antes do ECCLA. Nessa reunião, elegemos uma nova presidência, uma nova equipe de trabalho, e essa equipe vai tentar inserir o Movimento dentro dessa missão continental e das diretrizes de Aparecida. Claro, com a nossa identidade carismática, com o nosso jeito de ser Igreja. O Brasil, de forma especial, tem inspirado alguns projetos, como, por exemplo, o trabalho com as crianças. Também temos contribuído com a nossa experiência de Missão ad gentes. O Projeto Amazônia foi abraçado como um projeto não só do Brasil, mas da América Latina. No próximo ano, missionários latino-americanos já deverão ir para Breves ou Afuá, na Ilha do Marajó, ficar alguns dias e aprender com a nossa missão lá. A nossa Comissão para a Juventude Brasileira está colaborando ativamente com o trabalho da juventude em todo o continente, junto com o Ministério Universidades Renovadas. São muitos trabalhos do Brasil que estão sendo utilizados por outros países. Nosso país tem contribuído para vencer esses desafios da evangelização.

Revista Renovação: Marcos, para concluirmos, quais são as expectativas para 2011, diante de tudo que estamos partilhando?

Marco Volcan:
Temos dito e visto que a Renovação Carismática Católica vive um tempo de portas abertas. Portas abertas para a missão. Queremos ser cada vez mais dóceis ao Espírito Santo para correspondermos a tantas graças que o Senhor tem derramado sobre nós. 2011 chega trazendo-nos o desafio de mantermos o Movimento com todo esse vigor e fecundidade. Sabemos que será um ano de muito trabalho. Daremos um passo muito importante no sentido de consolidarmos nossa unidade, através dos congressos estaduais. O Senhor inspirou-nos a suspender o Congresso Nacional no ano que vem para que os congressos estaduais fossem fortalecidos, a fim de que possamos comunicar a vida do Movimento a um número maior de pessoas. Nós sabemos que para muitos irmãos é bastante difícil participar de um Congresso Nacional, e é por isso que uma equipe formada por membros do Conselho e do Escritório Nacional irá percorrer todo o Brasil, partilhando moções e direcionamentos de Deus para a Renovação Carismática em âmbito nacional. Temos confiança de que 2011 será um ano em que vamos, pela força do Espírito, avançar ainda mais. Será um ano missionário! A Palavra de Jesus nos impulsiona a lançar as redes novamente, a perseverar em nosso chamado. Que o Espírito Santo nos dê força, coragem e santidade para continuarmos a serviço do Evangelho, promovendo a Cultura de Pentecostes.