A Importância do Ministério de Intercessão para o Grupo de Oração

Interceder é colocar-se diante do Senhor em favor de alguém ou alguma situação, rogando pelas causas e necessidades. Na intercessão, aquele que intercede “não procura seus próprios interesses, mas, sobretudo os dos outros” (Fl 2, 4). Muitas conversões se perdem por falta de intercessão e, o Grupo de Oração, por ser um local de anúncio da Palavra de Deus e de Batismo no Espírito Santo, proporciona o momento oportuno para que muitas pessoas tenham uma experiência pessoal com Jesus e, impulsionado por esse encontro com o Senhor, inicie um caminho de conversão e se una ao Corpo Místico de Jesus que é a Igreja.

Assim, a intercessão é um Ministério fundamental para resguardar o Grupo de Oração, pois enfrenta inúmeras batalhas espirituais para trazer à luz os filhos de Deus. Logo o intercessor precisa estar empenhado para defender e garantir a proteção espiritual assumindo o posto de sentinela e guardião do Grupo de Oração.

O intercessor deve ter consciência da sua função para poder dar a melhor qualidade possível ao Ministério de Intercessão, e a partir dessa consciência colaborar com o objetivo do Ministério que é salvar almas para Jesus.

Portanto, da mesma forma que a oração sustenta a nossa vida espiritual, a intercessão deve sustentar toda a Renovação Carismática Católica, os Grupos de Oração, os Ministérios, os servos, as lideranças e os eventos de evangelização da RCC. E isso não deve ser para o intercessor motivo de orgulho ou vaidade, mas precisa lhe dar o entendimento de que a intercessão é um suporte imprescindível para RCC. Dessa forma, o Ministério de Intercessão assume a responsabilidade de ser o alicerce do Movimento, sustentando-o pela oração contínua e fervorosa.

O alicerce é uma estrutura que sustenta uma edificação, fica na base a ponto de não ser visto, assim é o intercessor. Mas, não é porque não é visto que deve ser esquecido, por isso torna-se imprescindível o cuidado e a atenção com o Ministério de Intercessão no Grupo de Oração. Compete ao coordenador do Grupo de Oração o zelo, a vistoria cuidadosa a fim de ter o conhecimento da existência de fendas, brechas ou situações vulneráveis que necessitam de reparo, reforma ou intervenção no alicerce desse grande mover de Deus que é a RCC, como nos diz em (Jo 2,17) “O zelo da tua casa me consome” e assim seremos movidos pelo mesmo ardor em todos os âmbitos dessa obra do Senhor.

Por esse motivo, deve-se ter o cuidado para discernir pessoas para a equipe/Ministério de Intercessão. A equipe de intercessão é formada pelo discernimento do núcleo do Grupo de Oração, assim como as demais equipes de serviço do Grupo. Entretanto, alguns problemas têm sido gerados no Ministério de Intercessão pela forma equivocada de escolher os servos para a intercessão, pois não podemos designar pessoas para servir no Ministério utilizando outro critério que não seja o carisma do servo para este chamado, visto que não se pode admitir que escolha pessoas para intercessão simplesmente porque são tímidas, ou idosas ou porque são consideradas “sem carismas”.

Essa falta de cuidado no processo de discernimento do intercessor tem gerado servos feridos e resistentes ao exercício do Ministério de Intercessão, pois se sentem rejeitados e desvalorizados em suas capacidades, talentos e dons.

Portanto, primeiramente para discernir servos que vão compor a equipe de intercessão, o núcleo do Grupo de Oração precisa observar alguns critérios humanos que auxiliam na escolha das pessoas, como: ter vida sacramental (confissão e comunhão), ser sigiloso, discreto, ser assíduo ao Grupo de Oração, ter vida de oração, ser obediente à coordenação do Grupo, assumir o compromisso de reunir-se semanalmente para a intercessão e ter concluído o módulo da fase querigmática e as apostilasdeIdentidade, Carismas e Grupo de Oração, do processo formativo da Renovação Carismática Católica. E, após ter-se observado estes critérios, seleciona-se os nomes, e em oração os que forem discernidos e confirmados pelo núcleo, serão convidados para equipe de intercessão. Os nomes que não foram unanimemente confirmados deverão continuar sendo discernidos até um maior esclarecimento espiritual. Contudo, não se trata de uma rigidez no discernimento, mas requer CHAMADO do Senhor para exercer o Ministério de Intercessão, pois o Senhor capacita os seus escolhidos conforme a abertura e docilidade dos seus servos.

É necessário valorizar a pessoa do intercessor, por isso, é primordial tomar o cuidado para evitar que sejam chamados servos para o Ministério de Intercessão sem a observância dos critérios e o devido discernimento. O intercessor, assim como os demais servos, precisa ser cuidado e pastoreado pelo coordenador do Grupo de Oração. O intercessor devidamente pastoreado gera vigor ao Grupo, por isso, todo Grupo de Oração deve ter Ministério de Intercessão.

O coordenador de Grupo de Oração é o primeiro pastor dos servos, portanto, o pastoreio do coordenador do Grupo de Oração é essencial para produzir maturidade, qualidade e unidade ao Ministério de Intercessão, pois a ausência do pastor provoca deficiências, brechas e dispersão no Ministério. A falta de pastoreio no Ministério causa intercessores desanimados, cansados, indispostos e que só intercedem por suas necessidades.

Principais ações que competem ao coordenador de Grupo de Oração priorizar no Ministério de Intercessão:

1- Zelar para que a equipe de intercessão tenha o número mínimo de 6 e no máximo 12 intercessores que devem se reunir semanalmente em dia e horário fixo. A reunião da equipe de intercessão é restrita aos intercessores, podendo dela participar eventualmente o coordenador do Grupo de Oração e coordenadores das instâncias da intercessão. A equipe de intercessão deve se reunir em um dia da semana diferente do Grupo de Oração, pois os intercessores precisam se abastecer no Grupo, participando de forma efetiva interagindo nos momentos da música, da pregação e da oração com o grupo, não sendo necessário ficar em um local à parte ou ficar em volta do grupo intercedendo, pois a intercessão pela reunião do Grupo de Oração já foi feita e essa é suficiente.

É importante ressaltar que não é atribuição da equipe de intercessão oferecer orientações ao núcleo do Grupo de Oração. O núcleo do Grupo que é a instância de governo (em sua reunião) é responsável por orar e ter o discernimento pelo andamento do Grupo de Oração, inclusive pelo tema e pelo rhema da reunião de oração.

Na reunião da equipe de intercessão, os intercessores independem do tema e do rhema discernido pelo núcleo, pois intercedem profeticamente para que a vontade de Deus aconteça no Grupo de Oração. A equipe de intercessão de Grupo de Oração da RCC tem como principal foco a intercessão pelo G. O, Ministérios, os pedidos da caixa de oração e todas as necessidades do Grupo, devendo encaminhar para o coordenador do Grupo de Oração as palavras proféticas que o Senhor revelar.

2- Discernir o representante do Ministério de Intercessão, aquele que será responsável pela equipe de intercessão, porém é comum escolher a pessoa que mais reza para representar o Ministério de Intercessão, mas esse não deve ser o principal critério, pois o coordenador da intercessão seja a nível nacional, estadual, diocesano ou de Grupo de Oração, por exercer uma função de liderança no ministério, deve estar disposto/apto a formar, articular, comunicar, pastorear e obedecer, esse perfil precisa ser observado quando se escolhe alguém para coordenar o Ministério de Intercessão, a fim de não comprometer muitas outras atribuições fundamentais para o desenvolvimento e amadurecimento do Ministério.

3- Orientar o intercessor sobre a necessidade da formação para estar capacitado para o exercício da intercessão. É importante que o coordenador de Grupo de Oração se certifique se os intercessores estão recebendo a formação específica dos Módulos de Formação do Ministério de Intercessão, e também tornar acessível as apostilas do Ministério e se estas estão sendo ministradas conforme o direcionamento da Escola Permanente de Formação de Intercessores (EPFI), esse cuidado evita que o intercessor receba formações que não seja direcionamento para o Ministério. Cabe ao coordenador do Grupo de Oração conhecer qual o alimento e quem está alimentando as suas ovelhas, para que não ocorra oportunidades para os mercenários, ameaças que podem enfraquecer ou exterminar o pequeno rebanho de intercessores.

Sabemos que a RCC nasceu no coração de Deus e devemos nos manter fiéis à inspiração da difusão da Cultura de Pentecoste, dessa forma o Ministério de Intercessão faz parte desse designío de Deus, para o qual é chamado a colaborar para manter a chama acesa, por meio da oração, e sustentar o Movimento.

É imprescindível estarmos empenhados para formar e fortalecer o Ministério de Intercessão nos Grupos de Oração, e assim, evitaremos o perigo de edificar uma preciosa construção sem alicerce e sem sustentação, pois não queremos ver a Obra do Senhor ruir ou desmoronar por falta de intercessão. “Sobre tuas muralhas, Jerusalém, coloquei vigias; nem de dia nem de noite devem calar-se. Vós, que deveis manter desperta a memória do Senhor, não vos concedais descanso algum” (Is 62,6).

Fonte: RCC Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *