As muralhas não resistirão

Muitas vezes participamos de retiros espirituais, somos assíduos em nossos grupos de oração, participamos da Santa Missa, mas não experimentamos verdadeiramente a graça de Deus que age sobre nós, voltamos para nossas casas e parece que nada mudou, isso pode acontecer por estarmos presos, escravizados e até mortos espiritualmente. Mas já quero te apresentar duas boas notícias: a primeira é que o Espírito de Deus que vem dos quatro cantos do céu sopra sobre aquilo que está morto e faz reviver (cf Ez 37, 9b) e a segunda boa notícia é que “as muralhas não resistirão”.

Construímos muralhas que nos separam da ação de Deus, entretanto essas muralhas não resistirão a partir de hoje! Quero já nesse início provocar você com a pergunta: As muralhas não resistirão a que? Ou a quem elas não resistirão? A Deus? A ação do Espirito Santo? Vamos refletir…

Uma muralha tem o objetivo defensivo, é construída para defender uma população, um território, um grupo de pessoas, mas por outro lado a muralha separa, fecha e isola também. E isso acontece em nossa vida espiritual, ao longo da nossa caminhada construímos muralhas de pecado, de reclamações, preocupações exageradas, de medo, de vícios, de autossuficiência e até mesmo para nos “defender” de Deus, talvez com medo daquilo que Deus pode pedir de nós. E então como derrubar essas muralhas?

São Paulo aos Gálatas no capítulo 4 versículos 6 e 7 nos ensina três coisas necessária para derrubar as muralhas, vejamos:

“A prova de que sois fi­lhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: “Aba, Pai!’’. 7.Portanto, já não és escravo, mas filho. E, se és filho, então também herdeiro por Deus.” 

  1. Precisamos ser um povo do clamor! O Espírito Santo deseja fluir em nós, mas é preciso nos abrir, clamar para que isso aconteça. O poder de um homem e de uma mulher que clama ao Senhor é enorme. Deus nos antecipa graças!
  2. Abandonar a escravidão, a escravidão enfraquece qualquer pessoa espiritualmente. Pessoas escravas da reclamação, da mentira, da fofoca, escravas da TV, celular, redes sociais, do trabalho, da família, escravas de si mesmas, não têm tempo para rezar, não deixam espaço para Deus em suas vidas. É preciso sair da escravidão, porque já não somos mais escravos, Jesus nos libertou!
  3. Tomar posse da filiação divina, somos herdeiros de Deus. Um Deus que é soberano e forte! E que faz de nós pessoas fortes, filhos fortes!

Agora retomo com você a pergunta: “As muralhas não resistirão” a quem ou a que? A resposta é que as muralhas não resistirão a VOCÊ! Você construiu essas muralhas, então você tem poder para derrubá-las. Seria muito fácil construirmos muitas muralhas e Deus vir derrubando cada uma delas, porém, Deus é um gentleman, um cavalheiro, Ele nos respeita, por isso eu e você precisamos tomar a decisão e derrubar essas muralhas. Como? Além dos três ensinamentos de São Paulo, dê o primeiro passo, passos concretos, busque o auxílio de Deus, o Sacramento da Confissão, a Eucaristia, faça pequenos propósitos diários, para se livrar dos pecados, dos vícios, da lamuriação… E assim maduro, forte e sobretudo cheio do Espírito Santo não há muralha que resistirá a você!

——————————————————–
Pâmela Karla Miranda Souza Schitine
Grupo de Oração Nossa Senhora de Fátima
Viçosa – MG