Eu preciso tomar posse da Palavra de Deus!

Sim, eu preciso tomar posse da Palavra de Deus! É assim, com este reconhecimento que gostaria de começar nosso texto de hoje. Uma vez que em minha vida é urgente essa vivência quis dividir esta reflexão com você, pois quem sabe ela também lhe venha a ser útil, certo?

O convite deste mês é para que pensemos juntos em como tem sido a nossa relação com a Palavra de Deus. Muitas vezes, apenas a lemos como alguém que lê um livro de histórias, se encanta e chega até a se emocionar em alguns trechos, porém, não toma para si o que ali encontra. Ao contrário, é preciso lê-la como quem a assume, de fato, como a voz de Deus a orientar os passos. Não é assim que nos diz o salmista? “Vossa Palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho” (Sl 118, 105).

Quantas e quantas vezes já não lemos “O Senhor é o meu pastor e nada me faltará…” (Sl 22,1) ou ainda, “Confiai-lhe todas as vossas preocupações, porque Ele tem cuidado de vós” (I Pd 5,7) e, então, quando estamos no cotidiano de nossa vida seguimos vivendo como se não houvesse ninguém por nós, como se nada tivéssemos lido.

Neste sentido, confesso-lhes que em tantas vezes, já à noite, me via preocupada e aflita demais, mesmo tendo lido, por diversas vezes, o trecho da Palavra que afirma que Deus alimenta os seus amados até durante o sono (Sl 126, 2). Compreendo, portanto, que a Bíblia precisa ocupar um novo espaço em minha vida, na verdade, o seu espaço e chego assim a uma conclusão: Eu preciso tomar posse da Palavra de Deus!

Em meio a estas reflexões eu me questionava: como fazer isso? Pensei, então, que uma das maneiras é trazer a Palavra de Deus para mais perto de mim, ou seja, ler e ir proclamando o que leio diante das diversas situações que enfrentar ao longo do dia, por exemplo: Quando estiver abatida por alguma situação, é hora de lembrar e proclamar: “Em nosso abatimento ele se lembrou de nós” (Sal 135,23). Sinto-me presa em alguma situação, pensamento ou sentimento? É hora de dizer com fé: Senhor, Tu vieste para “por em liberdade os cativos” (Lc 4,19), então, lembra-Te de mim e liberta-me. E por aí seguir rezando com as situações cotidianas da vida. Isso, a meu ver, pode ser uma maneira de tomar posse da Palavra de Deus!

Pois bem, agora é hora de praticar, mas antes peçamos juntos a Deus que Ele nos dê esta graça: conhecer e assumir a Sua Palavra em nossa vida para que, de fato, ela nos oriente frente aos inúmeros desafios que vivenciamos no dia a dia. Agora sim, me diga: qual a Palavra com a qual vai rezar neste dia? Mas lembre-se: É preciso ler e tomar posse!

Seguimos…

Claudete de Freitas
Coordenadora da RCC Viçosa