Evangelho da Semana: Jô 20, 19-31

Antes da nossa leitura deste domingo rezemos: Sabemos Senhor que a tua palavra é luz para os nossos passos e sob a tua luz desejamos caminhar. Por isso te pedimos enviai o vosso Espírito e dai-nos clareza acerca do que deseja nos dizer através desta palavra. Fortalecei nossa decisão para que possamos optar sempre pela tua palavra. Uma vez que “só Tu Senhor tens palavras de vida eterna”

Novo tempo Litúrgico

RECEBEI O ESPÍRITO SANTO

Nossa caminhada agora é rumo a Pentecostes, uma certeza vai invadir o meu/seu coração dizendo-nos para que fiquemos em Jerusalém e esperemos o cumprimento da palavra.

Evangelho de 19/04/09 – Jô 20, 19-31

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

19. Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, os discípulos tinham fechado as portas do lugar onde se achavam, por medo dos judeus. Jesus veio e pôs-se no meio deles. Disse-lhes ele: A paz esteja convosco!

20. Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos alegraram-se ao ver o Senhor.

21. Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós.

22. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo.

23. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos.

24. Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.

25. Os outros discípulos disseram-lhe: Vimos o Senhor. Mas ele replicou-lhes: Se não vir nas suas mãos o sinal dos pregos, e não puser o meu dedo no lugar dos pregos, e não introduzir a minha mão no seu lado, não acreditarei!

26. Oito dias depois, estavam os seus discípulos outra vez no mesmo lugar e Tomé com eles. Estando trancadas as portas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse: A paz esteja convosco!

27. Depois disse a Tomé: Introduz aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos. Põe a tua mão no meu lado. Não sejas incrédulo, mas homem de fé.

28. Respondeu-lhe Tomé: Meu Senhor e meu Deus!

29. Disse-lhe Jesus: Creste, porque me viste. Felizes aqueles que crêem sem ter visto!

30. Fez Jesus, na presença dos seus discípulos, ainda muitos outros milagres que não estão escritos neste livro.

31. Mas estes foram escritos, para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

PASCOA!

São Máximo de Turim, define a Páscoa como uma passagem “dos pecados à santidade, dos vícios à virtude, da velhice à juventude, que se entende não em idade, mas em simplicidade. Éramos de fato decadentes pela velhice dos pecados, mas pela ressurreição de Cristo fomos renovados na inocência das crianças” [1]

II Domingo da Páscoa – Festa da Divina Misericórdia

DEVOÇÃO AO JESUS DA MISERICÓRDIA

“Diz à humanidade sofredora que se aconchegue no Meu misericordioso Coração, e Eu a encherei de paz. A humanidade não encontrará a paz enquanto não se voltar, com confiança, para a minha misericórdia”.

Estas palavras foram pronunciadas por Jesus Cristo na aparição a Santa Maria Faustina Kowalska nos anos trinta do século passado. A missão desta santa iniciou-se em 22 de fevereiro de 1931, quando o misericordioso Salvador lhe apareceu. Ela viu Jesus vestido de túnica branca, com a mão direita levantada a fim de abençoar, enquanto a esquerda pousava no peito, fazendo que a túnica, levemente aberta, deixasse sair dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. A Santa Faustina fixou, em silêncio, o olhar em Jesus que lhe disse:

“Pinta uma imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus eu confio em Vós. Desejo que esta Imagem seja venerada, primeiramente, na vossa capela e, depois no mundo inteiro. Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá. Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. A Festa da Misericórdia saiu das Minhas entranhas. Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha misericórdia” (Diário, nº. 699). Em muitas comunidades católicas será exposta a imagem de Jesus Misericordioso. O sacerdote que divulgar esta devoção receberá muitas graças para si e para sua comunidade. Recebemos a graça da Indulgência Plenária neste dia se participarmos com devoção na Festa da Misericórdia com as devidas condições que a Igreja nos propõe.

“Obrigado Senhor Jesus por nos ensinar a viver a experiência de seu infinito amor por nós”.[2]

Jesus veio e pôs-se no meio deles

O cenário deste acontecimento miraculoso não é muito diferente do cenário das universidades de hoje, ou seja, muitos dos cristãos por medo de retaliação, perseguição, exclusão, acomodam a sua fé nas lembranças dos tempos de casa, junto à família.

Nos momentos em que se faz necessário levantar a voz e dar testemunho dos valores do evangelho, muitos preferem se esconder, a dar expressão da nossa fé. Sabendo Jesus da nossa natureza, semelhante à dos discípulos que acovardados esperavam o tempo passar. Vem então Jesus e se coloca no meio deles. Jesus é Deus e pode fazer-SE presente em qualquer momento e lugar, como lhe aprouver.

IRMÃOS, É NECESSARIO QUE JESUS PONHA-SE EM NOSSO MEIO, NAS UNIVERSIDADES E NO MUNDO DO TRABALHO. URGENTEMENTE!

E Ele realizará esta graça através do meu/seu testemunho. Assim as pessoas poderão ver em nosso testemunho a presença real de Jesus no meio universitário. Qual o testemunho que dou de Jesus Ressuscitado em minha vida aos meus amigos da academia? Ou com meus amigos de trabalho?

Esta aparição trouxe alegria, tranqüilidade, encorajamento aos discípulos e assim deve ser entre nós e através de nós.

JESUS DESEJA POR-SE NO MEIO UNIVERSITÁRIO ATRAVÉS DE VOCE, DA SUA PARTICIPAÇÃO NA MISSA, NOS SACRAMENTOS, NO DIA DE HOJE APRENDEMOS PRINCIPALMENTE A PROCURARMOS A MISERICORDIA NO SACRAMENTO DA CONFISSÃO.

A paz esteja convosco

A paz é um fruto do Espírito Santo e um dos desejos mais antigos de Jesus, que foi enfático ao desejar este estado de alma, mais de uma vez ao aparecer aos discípulos.

Desejo ser portador da paz de Jesus? Da concórdia? Ou tenho sido instrumento de intrigas, fuxicos, desentendimentos que geram o desconforto. A paz que é tão sonhada só chegará até nós quando ouvirmos a voz do Senhor.

SE DESEJAR A PAZ, EU DEVO CAMINHAR COM MEUS PASSOS PAUTADOS NA PALAVRA DE DEUS, NEM PRA DIREITA E NEM PRA ESQUERDA, MAS Em CIMA DO LIVRO DA LEI. (cf. Js 1, 7)

Alegraram-se ao ver o Senhor

Se os discípulos se alegraram ao ver o Senhor, imagino que o mesmo deveria acontecer conosco ao recebermos a EUCARISTIA, pois não se trata de apenas ver o Senhor, mas de recebê-lo em nossa casa, em nosso interior.

Infelizmente muitas vezes entramos na fila de comunhão e o único lugar onde nosso coração não está é em JESUS sacramentado doado a todos nós como alimento e fonte de salvação.

A COMUNHÃO CUJO COMUNGANTE ESTEJA DEVIDAMENTE PREPARADO PODE SER UM MOMENTO ONDE A ALEGRIA DO SENHOR SERÁ DERRAMADA EM PROFUSÀO. A PRESENÇA DE JESUS VIVO E RESSUSCITADO SEMPRE GERARÁ NA ALMA QUE O RECEBE UMA PROFUNDA ALEGRIA.

Eu vos envio a vós

No velho testamento Deus pergunta: “quem enviarei eu?” (cf. Is 6,8), Já no tempo da PASCOA é bem diferente, Recebemos um comunicado: “Eu vos envio a vós”. Se estivermos sendo enviados, a nossa felicidade somente acontecerá ao cumprirmos o mandato do Senhor.

Esta expressão de Jesus é um complemento à primeira parte da reflexão, ou seja, ao enviar a cada um de nós, Ele está viabilizando a forma de Ele se fazer presente no meio dos nossos amigos, colegas, professores, na realidade universitária.

Sabe-se que a missão é árdua, mas a igreja, assim como Jesus também nos envia a sermos os protagonistas de uma nova evangelização universitária, da cultura, dos ambientes de trabalho.

“A presença da Igreja no meio universitário, mediante pessoas comprometidas que servindo a Universidade servem à sociedade, inscreve-se no processo da inculturação da fé, como uma exigência da evangelização. Exigem-se comunidades de fé aptas a transmitir a Boa Nova de Cristo a todos os que se formam, ensinam e exercem a sua atividade no contexto da cultura universitária. A urgência deste empenho apostólico é grande, porque a Universidade é um dos mais fecundos focos criadores de cultura”.[3]

Recebei o Espírito Santo

A presença pascal de Jesus é algo impressionante, traz a paz, a alegria e de “quebra” diz “RECEBEI O ESPÍRITO SANTO”, ou seja, todos os demais frutos e dons que o acompanham. Na verdade o cumprimento da promessa de que os discípulos seriam batizados no espírito começou a ser cumprida neste momento.

Ao vermos alguns relatos sobre o Espírito Santo encontramos: Depois disso, acontecerá que derramarei o meu Espírito sobre todo ser vivo (cf. Jl 3,1); depois, João diz que Jesus ” é quem batiza no Espírito Santo” (cf. Jo 1,33), depois ainda vemos o próprio Jesus dizendo “mas vós sereis batizados no Espírito Santo daqui há poucos dias”(cf. At 1,5) e nesta narrativa Jesus ao soprar sobre os discípulos usa o verbo receber, ou seja, acolhei, tomem consigo, acolham-no. O tempo pascal é o tempo da acolhida ao Espírito Santo, o Deus que ressuscitou, deseja ficar definitivamente conosco e vem na forma da terceira pessoa da santíssima trindade.

AMADOS FILHOS DESEJO ARDENTEMENTE DIZER-LHES, COMO JESUS, RECEBEI O ESPÍRITO SANTO! É O TEMPO DA PROMESSA SER CUMPRIDA, BASTA APENAS RECEBER, ACOLHER, TRAZER CONOSCO O ESPÍRITO SANTO.CONVIDO-OS A UM MOMENTO DE ORAÇÀO, ONDE NO SILENCIO DO SEU CORAÇÀO, VOCE POSSA MEDITAR NESTA SEMANA, ONDE JESUS SOPRA SOBRE ELES DIZENDO RECEBEI O ESPÍRITO SANTO. IMAGINE-O FAZENDO O MESMO COM VOCE, COM AS PESSOAS DA SUA FAMILIA, DA SUA COMUNIDADE, COLEGAS DE FACULDADE, PROFESSORES, COLEGAS DE TRABALHO E ASSIM POR DIANTE.

QUE POSSAMOS COMEÇAR REALMENTE A AGIR COMO PESSOAS PLENAS DO ESPÍRITO SANTO. SEJAMOS DIFERENTE DE TOMÉ.

Alguns de nós acabamos não experimentando a vida no Espírito por que ficamos esperando algo extraordinário acontecer. Sejamos crédulos e dóceis, acolhamos a voz generosa de Jesus nos dizendo “recebei o Espírito Santo”.Digamos isso aos nossos irmãos, desejemos que todos recebam o Espírito Santo, coloquemos isso como saudação das nossas conversas, email,… neste tempo de preparação para Pentecostes.

Reflexão final

Entramos em um novo tempo litúrgico, a PASCOA, que nos convida a dizer com todas as nossas forças: JESUS RESSICITOU, ALELUIA!

É tempo da misericórdia do Senhor, sabemos do poder doado por Jesus aos discípulos, que hoje estão representados nos sacerdotes, portanto devemos buscar o perdão e a misericórdia de Deus através do sacramento da reconciliação.

Páscoa é tempo de alegria e paz.

Assim como a Isaias, o Senhor pode estar perguntando em sua universidade: “Quem enviarei eu? E quem irá por nós? Eis-me aqui, disse eu, enviai-me.”(cf IS 6,8) Oxalá a sua resposta seja a mesma do profeta

Pentecostes já chegou, é tempo de viver em plenitude a vida no Espírito. Sem medo e com todos os seus dons e frutos.

VEM ESPÍRITO SANTO, VEM!

[1] S. Massimo di Torino, Sermo de sancta Pascha, 54,1 (CC 23, p. 218).

[2] http://www.cmvd.com/formacao.php?action_link=ler&id=188

[3] Presença da Igreja na Universidade e na cultura universitária.