Evangelho da semana: Mc 6, 1-6

Antes da nossa leitura deste domingo rezemos: Sabemos Senhor que a tua palavra é luz para os nossos passos e sob a tua luz desejamos caminhar. Por isso, te pedimos, enviai o vosso Espírito e dai-nos clareza acerca do que deseja nos dizer através desta palavra. Fortalecei nossa decisão para que possamos optar sempre pela tua palavra, uma vez que “só Tu Senhor tens palavras de vida eterna”.

E VÓS, QUEM DIZEIS QUE EU SOU?

Evangelho de 05/07/09 – Mc 6, 1-6
— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

1. Depois, ele partiu dali e foi para a sua pátria, seguido de seus discípulos.

2. Quando chegou o dia de sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos o ouviam e, tomados de admiração, diziam: Donde lhe vem isso? Que sabedoria é essa que lhe foi dada, e como se operam por suas mãos tão grandes milagres?

3. Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão? Não vivem aqui entre nós também suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito.

4. Mas Jesus disse-lhes: Um profeta só é desprezado na sua pátria, entre os seus parentes e na sua própria casa.

5. Não pôde fazer ali milagre algum. Curou apenas alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.

6. Admirava-se ele da desconfiança deles. E ensinando, percorria as aldeias circunvizinhas.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Começou a ensinar

Algo bastante interessante nesta leitura, é que ela começa narrando que Jesus foi seguido por seus discípulos ao deslocar-se para a sua pátria. Começo então a me indagar, Jesus tinha pátria? Onde é a pátria de Jesus? Qual a sua nacionalidade? Qual a sua cultura? E mesmo sabendo que Jesus nasceu e cresceu em Belém, na Galiléia, que tinha Cafarnaum como a sua terra, sua cidade, pois ali Ele viveu uma boa parte do seu ministério, mas ainda assim fico me perguntando sobre a pátria de Jesus. JESUS é cosmopolita, é cidadão do mundo, embora sendo Galileu, deixou cultura cosmopolita, pode e deve ser utilizada por todas as culturas, por todos os povos. E como Jesus sabia da sua missão Ele não perdeu oportunidade e então ensinava em todas as oportunidades as coisas da sua pátria, ou seja, o “céu”, o Reino de Deus.

Sabe-se que os apóstolos anunciavam a JESUS e JESUS anunciava o Reino do Deus, essa é a sua pátria, o REINO DE DEUS, assim deve acontecer conosco que estamos na universidade, devemos sempre nos alinhar com Jesus. Se JESUS ensinava, nós como seus seguidores, devemos também ensinar, ensinar as coisas da nossa pátria, da nossa cultura,… do Reino de Deus. Assim vamos inculturando a universidade com a doutrina de JESUS. Isso é parte do nosso SONHO para as universidades renovadas.

Ensinar as coisas do Reino, a doutrina de JESUS, este é o SONHO do MUR, que é na verdade o SONHO de DEUS, para as universidades do Brasil e do mundo.

Imagino JESUS nos dizendo no dia do juízo final: vinde benditos de meu pai “não obstante as perseguições,… tendes enchido a universidade da minha doutrina”.1

Muitos o ouviam

Outra coisa me faz muitos questionamentos muitas vezes é algo como isso, as vezes muitos anunciam/ensinam, mas encontra-se pouco interesse. Mas aqui se percebe que JESUS anunciava e muitos O ouviam. De onde vem esta capacidade de comunicação? Ou ainda alguns comunicadores de hoje, eles não gritam, não fazem mágicas,… Apenas anunciam e as pessoas os ouvem com muita atenção. Fico a me lembrar do ex-arcebispo de Mariana, Dom Luciano Mendes de Almeida, que não levantava a voz, mesmo quando era sabido estar aborrecido, desconfortável com uma situação. Mantinha uma postura impecável, sempre firma nas suas colocações e ao mesmo tempo afável, com sinal da presença do Espírito Santo agindo na sua fala.

O mundo de hoje demanda anunciadores que usem de autoridade espiritual, de força divina, para comunicar as verdades da nossa fé, para dialogar com a comunidade científica e seus arredores e aí também seja inculturada a doutrina de Jesus.

Se eu desejo que meu anúncio seja ouvido com atenção sou chamado a ver a minha postura como cristão no ambiente acadêmico, científico, no mercado de trabalho. Sabe que as palavras convencem, mas os EXEMPLOS ARRASTAM. Então qual o exemplo que tenho dado por onde passo? Tenho credibilidade, posso dizer com minha vida, que a opção por JESUS e sua doutrina é melhor que as opções da academia, do mundo e outras doutrinas?

As pessoas, ao olhar para a minha vida acadêmica, podem perceber um modelo de estudante, minha liderança está pautada no serviço, na verdade, no interesse coletivo, ou em meus próprios interesses e valores?

SE DESEJO SER OUVIDO, PRECISO DE AUTORIDADE ESPIRITUAL, E ISSO VEM DO SERVIÇO AO REINO DE DEUS E SUBMISSÃO A SUA PALAVRA. VEM TAMBÉM DO TESTEMUNHO MANIFESTADO EM NOSSA VIVÊNCIA DA FÉ EM NOSSA COMUNIDADE ACADÊMICA, OU ONDE TRABALHAMOS.

Sabedoria … Grandes milagres

Tanto a sabedoria, como os milagres são Carismas/Dons do Espírito Santo2 e JESUS agia manifestando estes dons/carismas por estar pleno do Espírito Santo. Então consequentemente todos nós devemos buscar essa graça a PLENITUDE do Espírito Santo, pois somente assim poder-se-á colher tais frutos. A verdadeira sabedoria espiritual só tem uma fonte, o Espírito de Deus, da mesma forma a realização de milagres, que aliás é desejo de Deus manifestá-los na vida dos seus servos, INCLUSIVE NA UNIVERSIDADE.

Neste meio incrédulo, onde as pessoas são movidas pela razão, sómos chamados hoje a uma vivencia CARISMÁTICA, ou seja, plena da manifestação dos dons/carismas, INCLUINDO AS MANIFESTAÇÒES EXTRAORDINÁRIAS.

Desejo assegurar-lhes que se existe algo neste tempo de caminhada e vivencia do evangelho (30 anos) de que estou seguro, é o fato de que Deus deseja manifestar os carismas em todos os fiéis e em todas as circunstâncias cabíveis, principalmente num meio como a universidade.

CREIA NISSO E CLAME PELA FORÇA DO ALTO PARA QUE POSSAMOS VIVER ESTA GRAÇA, A DA PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO NA SUA REALIDADE ACADEMICA E QUE ESTA MESMA COMUNIDADE PERCEBA A SABEDORIA DE DEUS EM VOCE E SUA COMUNIDADE, BEM COMO GLORIFIQUEM AO SENHOR PELOS MILAGRES ACONTECIDOS EM NOSSO MEIO. TESTEMUNHEMOS, COM FÉ.

Efeitos da incredulidade

A narrativa é muito clara, muita coisa mais não realizou Jesus devido a incredulidade dos seus. Amados que não sejamos tolidos pela incredulidade do meio acadêmico, ao contrário, que tenhamos isso como esterco à nossa missão. Que isso sirva de fortaleza, encorajamento à nossa missão.

É sempre nosso dever atender, rezar, proclamar, anunciar,… e o fruto compete a Deus. Devemos fazê-lo oportuna e inoportunamente, como nos ensinou São Paulo.

E então a universidade onde Deus te plantou verás também a Glória de Deus. CREIA NISSO MEU FILHO, MINHA FILHA, NETO, BISNETO,… CREIA NISSO E VIVA ISSO. MUITOS FICARÃO MARAVILHADOS DO SEU SERVIÇO MISSSIONÁRIO. ALELUIA!

Reflexão Final

Ensinar é um dom, uma qualidade demandada no mundo de hoje, principalmente onde muitos são ensinados de forma virtual, pelos meios de comunicação, principalmente a net. Então permitir que Deus se apodere de nossas faculdades pessoais e nos faça “professor” da sua doutrina é um desafio que se nos impõe como batizados. Se esta foi parte da missão de Jesus, é também nossa missão.

Muitos o ouviam, isso não nos será dado em um primeiro momento. Às vezes teremos que percorrer solo sequioso para depois podermos colher um Oásis, nesta nossa caminhada de anunciadores da palavra de Jesus.

A perplexidade de alguns dos nossos amigos, professores e até mesmo servidores sobre as manifestações do Espírito de Deus em nossa vida, será percebida somente após a nossa tomada de decisão e OPÇÃO POR JESUS E SEU REINO.

Amados (as), que jamais seja por nossa incredulidade que as manifestações de fé, do Deus vivo, deixem de acontecer em nossa comunidade. Aliás que nós sejamos os catalisadores da presença viva e real de Jesus no âmbito universitário.

VEM ESPÍRITO SANTO, VEM!

1 At 5, 28

2 I Cor 12 3-11