Evangelho da semana: Mc 6, 7-13

Antes da nossa leitura deste domingo rezemos: Sabemos Senhor que a tua palavra é luz para os nossos passos e sob a tua luz desejamos caminhar. Por isso, te pedimos, enviai o vosso Espírito e dai-nos clareza acerca do que deseja nos dizer através desta palavra. Fortalecei nossa decisão para que possamos optar sempre pela tua palavra, uma vez que “só Tu Senhor tens palavras de vida eterna”.

Evangelho de 12/07/09 – Mc 6, 7-13

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

7. Então chamou os Doze e começou a enviá-los, dois a dois; e deu-lhes poder sobre os espíritos imundos.

8. Ordenou-lhes que não levassem coisa alguma para o caminho, senão somente um bordão; nem pão, nem mochila, nem dinheiro no cinto;

9. como calçado, unicamente sandálias, e que se não revestissem de duas túnicas.

10. E disse-lhes: Em qualquer casa em que entrardes, ficai nela, até vos retirardes dali.

11. Se em algum lugar não vos receberem nem vos escutarem, saí dali e sacudi o pó dos vossos pés em testemunho contra ele.

12. Eles partiram e pregaram a penitência.

13. Expeliam numerosos demônios, ungiam com óleo a muitos enfermos e os curavam.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Começou a enviá-los

Ao refletirmos sobre a pedagogia de escolha e envio de Jesus, percebemos algo muito próprio DELE. Partiu da multidão e formou o colégio dos discípulos, que eram 72, e destes escolheu doze para a sua companhia, doze para enviá-los dois a dois.

Antes de desenvolvermos qualquer missão em nome de Jesus, ELE nos chama. É preciso ser chamado pelo Senhor, pois nossa missão será frutífera somente se formos chamados. Naturalmente que a messe é grande e poucos são os operários, principalmente na universidade, então o SENHOR deseja chamá-lo (a) e deseja mais do que isso, deseja também enviá-lo. Melhor que ser chamado é ser também enviado. Se estamos diante de um desafio missionário, o envio se torna condição fundamental, para o êxito da missão. E uma forma de sermos enviados por Jesus hoje, é buscarmos a comunhão com as lideranças da nossa comunidade, partindo das autoridades eclesiásticas e passando pelas coordenações do movimento, buscando a benção, o envio para as missões.

Pode parecer coisa do passado, de gente subserviente, mas não se trata de subserviência, ao contrário se trata de comunhão, adesão a autoridade constituída, de um espírito humilde, que busca através da partilha, da comunhão, do reconhecimento da autoridade, como sinal do chamado de Deus para o desempenho de determinada missão.

Outra questão bastante interessante é que Jesus sempre enviava de dois a dois e devemos acolher esta forma sábia de realização da missão, pois assim o inimigo terá que derrotar sempre dois ao invés de um servo de Deus.

Muita vezes até seremos tentados em levar alguma missão sozinho, mas o evangelho de hoje é um grande alerta quanto a alguns princípios e estratégias de missão: Ser chamado, ser enviado e ir em companhia ao menos de outro servo.

Deu-lhes poder

O poder é algo que sempre fascinou o homem e Deus sabe que isso poderia ajudar-lhes na execução da sua missão, como ajudou a Jesus e aos demais discípulos em outras oportunidades. Na realidade universitária talvez seja o lugar onde mais se torna gritante a manifestação dos sinais e prodígios. AMADOS, QUE SEJAMOS AUDÁZES, OUSADOS E PERMITAMOS QUE OS SINAIS E O PODER VENHAM SOBRE NÓS E NOSSA MISSÃO NA UNIVERSIDADE.

Coisa boa é um servo entregue à verdadeira manifestação do Espírito, com unção, com ardor no anúncio, com sinais miraculosos e compromisso com o SENHOR, pois a ação de tal servo, reverte-se somente em bênçãos para a comunidade por ele atendida.

Fico imaginando os nossos GOUs e GPPs sendo conduzidos por um grupo de servos cheios de poder, um presente dos céus. Um servo na acolhida, outro na música, na condução, ministrando a oração, o louvor, pedindo o Batismo no Espírito, outros ainda rezando pela cura, profetizando, pregando e por fim alguém nos enviando com autoridade espiritual, com poder para a vivência das profecias, da reunião de oração. Isso é o desejo de Jesus e da igreja para as nossas comunidades carismáticas nas universidades. Aliás, a UNIVERSIDADE CLAMA POR GENTE QUE VIVA A FÉ COM PODER, OUSADIA, ATREVIMENTO, SINAIS no meio universitário, onde existe espaço apenas para a razão. DESEJO EXORTÁ-LOS A UMA VIVÊNCIA REALMENTE CARISMÁTICA, ABERTA AO PODER DO ESPÍRITO EM NOSSAS FACULDADES E NO MEIO DO TRABALHO.

Desprendimento, simplicidade

Jesus recomendou aos discípulos que não levassem coisa alguma e naturalmente isso transcende os aspectos materiais – o desejo de Jesus para o servo do reino, quer seja na universidade, no trabalho, ou na comunidade diretamente é que se tenha um coração desapegado, livre de preocupações e valores que tornem pesadas as atividades e o serviço.

O verdadeiro servo de Deus leva somente o necessário, ele é amigo da providência, anda na fé, age na fé, e com isso mostra o seu desprendimento e confiança em Deus.

Muitos de nós fomos motivados a determinada profissão pelo possível retorno econômico, outros idealizaram um “estilo” de vida nada compatível com o evangelho e seus valores.

Ainda a sociedade capitalista ao nos formarmos nos prepara para TER COISAS como uma forma de ascenção a determinado grupo ou classe social – e passamos boa parte da nossa vida apenas trabalhando para conseguir COISAS. Não em SER pessoas de bem, justos, honestos, responsáveis, comprometidos com os valores do Reino. Jesus vem nos propor um estilo de vida simples, que demanda menos coisas, e conseqüentemente menos consumo, portanto maior preservação dos recursos naturais. O estilo proposto por Jesus é um estilo preservacionista.

Pregaram a penitência

Também para que este estilo de vida proposto por Jesus seja adotado, é preciso primeiramente uma conversão por parte dos cristãos, pois deveremos anunciar com nossos atos, acima de tudo. A universidade e o meio do trabalho clamam por pessoas que se converteram e fazem penitência, ou seja, que se abnegam de valores não evangélicos e apontam com seu testemunho, com a renúncia, um estilo ousado de vida.

A COMEÇAR EM NÓS, APRESENTEMOS UM TESTEMUNHO DE PENITENTES À UNIVERSIDADE E AO MUNDO DO TRABALHO.

Reflexão Final

Jesus chamou a doze dentre vários. Não tenha dúvida: em seu serviço ao Senhor, você foi chamado para fazer parte deste seleto grupo e por ELE foi enviado à missão.

E quando somos enviados por Jesus o somos na forma comunitária, ao menos dois a dois. Jamais sozinhos!

Jesus nos conferirá o poder do alto para o cumprimento de qualquer missão que venha dEle. CREIA NISSO E UTILIZE ESTE PODER, ele será um grande sinal principalmente na realidade universitária.

O maior ambientalista e preservacionista de todos os tempos foi Jesus, pois já nos convocava a possuirmos poucas coisas, a termos hábitos de vida simples, pois já sabia o quanto isso facilitava a vida e a missão. ESSE É UM DOS MAIORES TESTEMUNHOS A SER OFERECIDOS AO MUNDO MODERNO/CONSUMISTA por parte dos que se dizem cristãos e tiveram acesso à universidade, ao conhecimento.

PENITÊNCIA É UMA PALAVRA DE ORDEM SEMPRE NOS ENSINOS DE JESUS E CORROBORA COM O ESTILO DE VIDA EVANGÉLICO. QUANTO MENOS, MELHOR!

CUMPRIR AS ORDENS DE JESUS, ORAR, UNGIR, IMPOR AS MÃOS, REALIZAR EM NOME DE JESUS MUITAS COISAS QUE AUMENTAM A CRENÇA DOS MEMBROS DA COMUNIDADE E O NÚMERO DE SEGUIDORES DE JESUS E SEU ESTILO DE VIDA NA UNIVERSIDADE – É NOSSA MAIOR MISSÃO.

VEM ESPÍRITO SANTO, VEM!