Matrimônio, caminho de santificação.

Inicio estas linhas explicando de onde nasceu meu chamado a trabalhar com casais: Em pouco tempo de casado, diante do aparecimento das dificuldades, logo já experimentei em meu relacionamento as consequências do desgaste e de um grande despreparo ao conduzir meu lar e meu casamento. Ninguém me havia ensinado de forma tão efetiva e prática a importância que o marido possui dentro do matrimônio.

Minha esposa em tempo de enlouquecer tamanha era a desordem encontrada em nosso relacionamento. Foi então que vimos uma luz no fim do túnel e focamos em segui-la. Começamos a fazer o que deveríamos ter feito antes de nos casarmos: Estudar sobre o que é o sacramento do matrimonio e qual o papel do marido e da esposa dentro dele.

E o que descobrimos? Que estava tudo errado no nosso relacionamento, minha esposa sobrecarregada por querer fazer além das próprias forças, eu estava estagnado, de mãos e pernas atadas por não saber por onde seguir.Então iniciamos nosso caminho de repaginar a história que estávamos escrevendo sobre o que inicialmente era o maior sonho de nossas vidas, mas estava próximo de se tornar o maior pesadelo se a misericórdia de Deus não tivesse nos alcançado.

Estamos descobrindo a cada dia que o casamento deve ser visto como caminho de santidade, como caminho que nos leva para o céu. Parece clichê fazer esta afirmativa, mas na prática as coisas são bem diferentes. Reflita comigo: Quantos casais ambos canonizados santos, que a santidade se deu através da família, do sacramento, você conhece?

Além de São Martin e Santa Zélia não me recordo de mais nenhum, sei que talvez seriam uns 4 ou 5 casais no máximo. Sintomática essa observação não é mesmo? Mas de qual doença? Da doença existente dentro dos casamentos: Falta de santidade. Um não é capaz de chegar no céu e levar consigo o outro ali junto, lado a lado, pode até ser que ambos se santifiquem, mas o que é palpável é que pouco se tem visto de verdade, a busca de santidade dentro do casamento.

Não temos ainda um número razoável de modelos de casais santos para os quais a gente possa olhar e se espelhar. Temos centenas de santos monges beneditinos, franciscanos, enfim dentro do sacramento da ordem, ou religiosas como Santa Teresinha do Menino Jesus, Santa Tereza D’Ávila, Santa Rita de Cássia, mas dentro do sacramento do matrimônio existe um grande vazio.

O assunto da santidade na família é algo que toca ao nosso tempo descobrir e construir. Cabe aos casais de nosso tempo descobri no seu dia a dia como chegar no céu levando consigo seu cônjuge. E por tabela, educar os seus filhos para o céu. Digo por tabela porque o casal deve ser visto como o centro da família e os filhos, ao beberem de tamanha graça que jorra de seus pais, podem então se santificar e experimentar Deus.

Quando tocamos em vidas como as de São Martin e Santa Zélia vemos que eles mesmos se confundiram no inicio de sua vida matrimonial conduzindo um casamento josefino, sem ter contato físico. Eles não conheciam o caminho de santidade dentro do matrimônio e foi necessário que o diretor espiritual deles os alertasse sobre esse passo errado e foi então que deste sacramento nasceram grandes santas.

Esta continua sendo a nossa dificuldade: Modelos de santidade dentro do casamento. E o que fazer então? Bem, acho que está claro que cabe a nossa geração inventar modelos de santidade na família, sem medo, sem afetações de humildade, movidos pela graça do Espírito Santo de Deus.

Os casais, começando por mim e minha esposa, precisam aprender a preservar o tesouro escondido dentro do campo. Tesouro aqui que pode ser comparado ao amor conjugal, à educação dos filhos, à busca de Deus acima de todas as coisas.

A este campo, terreno, posso comparar com o sacramento do matrimonio que cerca, fortalece, blinda o casal para poderem desfrutarem de forma plena dos tesouros espirituais contidos diante da busca de uma vida santa. Campo este que deve ser guardado pelo marido e pela mulher.

Dentro do sacramento do matrimonio, nem mesmo as palavras que são ditas podem ser roubadas pelo inimigo. Isto o deixa furioso, pois o casamento vivido em sua totalidade e profundidade, segundo a palavra de Deus, torna-se um grande caminho de santificação o qual o inimigo não pode efetivamente conhecer para poder deturpar.

Quão beleza é esta comparação não é mesmo? Tenho a graça de ter esta parábola como base do início de meu relacionamento com Patricia e hoje entendo perfeitamente a profundidade dela. Hun… ta aí um bom tema para meu próximo livro: Como Patricia e eu nos conhecemos e podemos tocar Deus em cada detalhe de nossa história.

Por hora vamos então falar do meu primeiro livro digital “F10 – Salvando Casamentos”. Vejo neste livro apenas como um pontapé para iniciar o grande trabalho que tenho pela frente. Minha missão é ajudar aos casais que almejam a santidade a escreverem sua historia e deixarem seu legado, direcionando assim as gerações futuras sobre este caminho certeiro que leva ao céu: o matrimônio!

Ele é um compilado com 10 ferramentas práticas que ajudarão ao casal a reescrever a sua história de forma planejada e responsável, embasados sempre em seus princípios de fé.

O caminho para nos libertar e libertar nossos relacionamentos está no autoconhecimento e na busca da cura interior, que nos ajudam a sair da superficialidade no relacionamento conosco, com Deus e com os que estão ao nosso redor, reorientando todas as áreas do nosso ser segundo o amor.” – Hudson Nunes (Método F10 – Salvando Casamentos)

Essa é a proposta do livro digital. Para você adquirir, basta acessar o link www.metodof10.com/vendas e fazer a sua compra.

Espero e rezo para que independente de ter adquirido ou não este livro, sua vida tenha sido tocada pelas palavras aqui deixadas e que você reinicie a história de sua vida e de seu casamento ainda hoje, se assim sentir necessidade.

Deus abençoe você!

Hudson Nunes
Autor do livro digital “Método F10- Salvando Casamentos”
Servo do Ministério de Pregação e Comunicação da RCC Viçosa/MG