O Jovem e Deus

Não tem sido incomum escutar mães dizendo que depois que seus filhos cresceram e se tornaram adolescentes ou jovens, já não querem ir mais à missa, frequentar a Igreja, catequese ou outras atividades religiosas.

Fico pensando o quanto isto é ruim, o quanto fará mal a este ser humano em desenvolvimento, pois, ao abandonar suas práticas religiosas, ele vai aos poucos minando sua fé, e em breve Deus não passará de uma ideia vaga e distante, sem qualquer incidência prática em sua vida.

Acontece, porém, que todo ser humano precisa de Deus para conferir sentido mais profundo à sua vida; toda pessoa possui um recôndito tão intimo no seu ser que ninguém pode penetrar a não ser Deus. E chegará um momento em que ele precisará de uma presença que lhe preencha aquela solidão que todo ser humano possui, aquele lugar dentro de nós onde estamos absolutamente sós, de tal modo, que nem aqueles que mais nos amam podem estar conosco, ninguém além de nós e Deus, se o permitirmos.

Chega uma hora na vida em que as tribulações são tão intensas, como uma doença terrível de alguém que amamos, um acidente, medos, etc., nas quais estes meninos e meninas terão que recorrer a Deus como última instância e não conseguirão fazê-lo, pois o expulsaram, sutilmente, de suas vidas. Fecharam de tal modo suas portas a Ele, o ignoraram ou relativizaram sua importância que já não conseguirão encontrá-lo com a facilidade e a urgência que a necessidade requeria. Não que Deus os tivesse deixado de amar, mas é que eles, há muito, deixaram de amar a Deus, que agora lhes parece um estranho com quem não têm a menor familiaridade.

O que farão então nessa hora? Conseguirão acreditar para ver Deus agir? Quererão ainda tentar? Se entregarão ao desespero?

É verdade que Deus nos ama tanto e tem mil caminhos de se achegar a nós, mas às vezes colocamos tantas barreiras entre Ele e nós que o que nos chegaria facilmente pela via de amor, muitas vezes só nos chegará pela via da dor.

Meu caro jovem, não exclua Deus da prática da sua vida, pois fora da fé tornada prática de vida, só resta ao adulto que você será mais tarde um caminho árduo e sofrido, do qual Deus lhe deseja poupar.