O que nos garante a vitória?

Em muitas missões e batalhas de nossa vida, travamos verdadeiras guerras, em que obtemos derrotas e vitórias. Saber aceitar e avaliar a derrota e tomar novos rumos nos traz amadurecimento. Entretanto, saber observar por que saímos vitoriosos em determinadas situações pode nos trazer estratégias vitais para novos combates em nossa caminhada. Temos que estar atentos e lembrar que o maior combate não é contra o sangue nem contra a carne, mas contra os Principados, contra as Autoridades, contra os Dominadores deste mundo de trevas e contra os Espíritos do mal, que povoam as regiões celestiais (Efésios 6,12).

Davi, o Rei Guerreiro, venceu Golias e todos os seus inimigos por causa de algumas estratégias, que podemos observar na passagem de I Samuel, 23ss, e adotá-las em nossa vida. São elas:
1. Correr para diante de Deus antes de qualquer atitude.
2. Perguntar: Senhor, devo enfrentar esse inimigo ou devo fugir dele?
3. Escutar a palavra de ordem do Senhor e confiar, pois, ainda que os inimigos, numerosos como a areia, tramem contra você, Deus lhe dará a vitória; portanto, faça o que o Senhor lhe ordenar (Josué 11,1-9).

Davi, em seus combates, obteve parte de suas vitórias porque resolveu enfrentar e lutar contra o inimigo, mas a outra parte delas foi conquistada sem nunca ter lutado. Simplesmente ele fugiu, por ordem do Senhor, pois, mesmo sem o entendimento de tal ordem, percebeu que a lógica de Deus não é a nossa lógica.

Existem problemas em nossas vidas que resolvemos pelo sentar e conversar. Há outros que silenciosamente solucionamos pela escuta e pelo perdão. Se, na conversão de seus familiares, você mais espalha do que ajunta, então evangelize outros e espere, em Deus, que Ele envie obreiros para evangelizar os seus. Você sai de cena, foge e, pela força da oração, experimenta a vitória.

Nas guerras contra o álcool e o adultério enfrentamos evitando lugares e situações de risco. Assim também existem guerras em que oferecemos a outra face ou, até mesmo, caminhamos alguns quilômetros a mais com o irmão.

Nossa preparação, antes de qualquer combate ou missão, deve ser de recolhimento diante de Jesus, pois as maiores batalhas de Davi não foram ganhas com armas ou influências (jeitinho brasileiro), e sim com a oração, com a luta pela verdade e pela justiça e com a escuta a Deus.