Vaticano se preocupa com falta de freiras

Uma diminuição da vocação religiosa e uma média de idade cada vez mais avançada estão colocando em perigo a sobrevivência de algumas comunidades religiosas católicas na Europa e América do Norte.

A situação preocupa o Vaticano já há algum tempo, tanto que lançou novamente um alerta por meio da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, que promoverá uma assembléia plenária sobre o tema.

“Atualmente, a presença monástica na Igreja é de 12876 monges residentes em 905 monastérios”, precisou a Congregação ao anunciar a assembléia, que começará amanhã e terminará no dia 20 de novembro.

“Em média, as comunidades têm em torno de 15 religiosos”, divulgou a Congregação. Além disso, há 48493 monjas distribuídas em 3520 monastérios, dois terços delas na Europa. E são justamente essas comunidades as que causam mais preocupação, pois na Ásia, África e América Latina as comunidades das religiosas têm aumentado.

No Ocidente, aumentam, em proporção, as aspirantes à vida contemplativa, “mas seu número não é suficiente para poder assegurar a vitalidade e a possibilidade de sobrevivência a todas as comunidades”, explicou a Congregação.

Fonte: O Globo