Evangelho da Semana (Mateus 13,24-43)

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!


Naquele tempo: 24Jesus contou outra parábola à multidão: “O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. 25Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo, e foi embora. 26Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. 27Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram: ‘Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?’ 28O dono respondeu: ‘Foi algum inimigo que fez isso’. Os empregados lhe perguntaram: ‘Queres que vamos arrancar o joio?’ 29O dono respondeu: ‘Não! Pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. 30Deixai crescer um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado. Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!”

31Jesus contou-lhes outra parábola: “O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. 32Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos”.
33Jesus contou-lhes ainda outra parábola: “O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.
34Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, 35para se cumprir o que foi dito pelo profeta: “Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo”.
36Então Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: “Explica-nos a parábola do joio!” 37Jesus respondeu: “Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. 38O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. 39O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifeiros são os anjos. 40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: 41o Filho do Homem enviará seus anjos, e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; 42e depois os lançarão na fornalha de fogo. Aí haverá choro e ranger de dentes. 43Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça”.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

O Evangelho desta semana nos traz três parábolas. Encantadora a sede de evangelizar de Jesus! Falar do Reino de Deus, matar a sede da multidão sedenta, abrir os olhos dos cegos, endireitar o caminho dos que andam no erro! Jesus que é um com o Pai queria nos transmitir essa comunhão, nos fazer parte da sua misericórdia e do seu Amor sem fim!!!

O primeiro passo é ouvir essa Palavra, depois colocá-la em prática no dia-a-dia e como conseqüência ser semeadores desse Reino de Amor!

Nós hoje somos chamados a sermos grãos de mostarda e fermento no mundo… com toda a nossa pequenez, nossa limitação, sermos promotores do Reino de Deus, falando se esse é o nosso chamado, mas sobretudo com atos e testemunho (muitas vezes sem falar nada).

Aceitar a verdade do Cristo e, colocá-la em prática, ou não, é o que nos diferencia como trigo ou joio. E neste 16º domingo do tempo comum, podemos parar um pouco para refletir o que temos sido: trigo que cresce e se prepara para ser pão de vida, alimento de santidade ou joio que atrapalha o trigo crescer e que terá como fim a fornalha, será jogado fora, pois não serve para nada?

O tempo comum é tempo de aprofundar o aprendizado, de perseverar na fé no Cristo que veio ao mundo, espalhou o Amor, morreu numa cruz e ressuscitou para nos salvar, para nos fazer participantes de sua misericórdia! Que tenhamos sabedoria para seguir adiante! Peçamos ao Senhor o Espírito Santo, um Pentecostes diário nas nossas vidas, para seguirmos firmes nos desafios de cada dia!!!