Morrer De Garrolê

Nesse texto quero conversar com você sobre vermos a Bíblia como literatura.

A princípio parece uma coisa óbvia, já que a Bíblia é um livro, ou melhor, uma coleção de livros e os livros, claro, são para serem lidos e por isso é mais do que óbvio que temos que entender a Bíblia como literatura.

Só que, quando se trata das Sagradas Escrituras, nem sempre a coisa é simples assim.

Até porque, a Bíblia é para nós a palavra de Deus. E por ser palavra de Deus, a Igreja a venera profundamente.

O que acontece muitas vezes é que muitas pessoas entendem de modo equivocado o fato de termos a Bíblia como Palavra de Deus para nós e de veneramos a Bíblia como tal e acabam, por causa de um respeito às vezes fora da normalidade, tendo medo de ler a Bíblia.

Eu acho bacana quando chego numa casa e a Palavra de Deus está aberta, geralmente num lugar de destaque na casa. A pessoa tem aquela Bíblia grande, ilustrada e coloca na sala, aberta, bem bonito. E é importante isso, dar destaque para a palavra de Deus, a Igreja nos incentiva a isso.

Mas muitas pessoas ficam com medo ou respeito excessivo e não a lêem. Por isso quero comentar sobre a Bíblia como literatura.

Para ficar mais fácil vamos separar as palavras: Bíblia e Sagrada.

Bíblia significa um conjunto de livros. E como já dissemos, livro é para ser lido. Ato humano.

E a outra palavra: Sagrada, segundo o dicionário é algo relativo às coisas divinas, algo santo, separado. Ato divino.

Percebemos aí o que Deus quer: a união do divino com o humano.

Na composição da Bíblia Sagrada temos no momento da redação dos livros, a mão humana, mas também, e principalmente, a inspiração divina que é o que torna a Bíblia algo sagrado para nós. Temos aí essa junção do ato humano e da ação divina.

Fazemos o que cabe a nós no ato humano da leitura dos textos e Deus a dele ao nos enviar seu Espírito Santo que nos ilumina e encaminha nessa leitura.

A Igreja nos ensina que a graça de Deus é oferecida a todo ser humano, mas que para produzir seu efeito é necessário que haja a cooperação humana. É o que a Igreja chama de livre adesão do homem à graça de Deus.

Assim também o é com a Bíblia. Para que a Palavra de Deus, em toda sua sacralidade, para que o ato divino aconteça em nós, precisamos realizar o ato humano da leitura dos textos.

E nesse artigo queremos dar algumas dicas desse nosso ato humano da leitura ao estudarmos a autoria bíblia, as formas literárias da bíblia e tudo mais. E dessa maneira, ao exercermos melhor nosso ato de leitura, nós nos tornamos mais abertos à graça de Deus que vem até nós nas Sagradas Escrituras.

E claro, para encerrarmos não podia deixar de contar um causo lá das minhas Minas Gerais né não?

É igual aconteceu lá em Minas: A vó de um amigo meu viu esse camarada lendo um livro e disse assim para ele: Menino pára de ler esse trem que cê vai morrê de “garrolê”.

Aí ele assustou e perguntou pra vó dele: que isso vó, que diacho é esse negócio de garrolê, que doença é essa?

Uai menino, cê acabou de almoçar, tá com a barriga cheia e garro a lê esse livro. Vai passá mal. Lê de barriga cheia faz mal. Garro Lê!!! Ou seja, pegou para ler o livro.

Precisamos agarrar à leitura da Bíblia. Ter um garrolê de Bíblia