Os Motoristas

Diante das estatísticas que apontam alarmantes índices de vítimas da violência do trânsito, ninguém pode ficar indiferente. As estradas e até mesmo as áreas urbanas tornaram-se palco de tragédias constantes. Muitas vidas se esvaem ou são mutiladas. Uma verdadeira guerra que destrói e cria feridas nos corações de parentes e amigos das vítimas.

Encontramos em São Cristóvão um lembrete às consciências: o dom da vida é inviolável. Respeitar o próximo, além de preservar sua dignidade, traduz em verdadeira prática do cuidado com a obra de Deus. A responsável prudência ao volante é um ato de solidariedade, capaz de proteger o ser humano em face aos riscos apresentados pelos veículos que se transformam em verdadeiras armas à mercê da consciência de seus condutores. Indo ou vindo, longe ou perto, os cuidados e obediência às normas de segurança nas viagens são fundamentais.

A biografia do patrono dos motoristas, São Cristóvão, é marcada por muitas lendas. Todas têm a finalidade de realçar seu altruísmo, através de elevados gestos de amor ao próximo. De fato, ele viveu o significado de seu nome, Cristóvão, portador de Cristo. Seu culto remonta ao século V.
Nascido em ambiente pagão, ao converter-se, dizia que somente serviria o soberano mais poderoso, o Rei dos reis. Para isto, seguiu o caminho da oração e meditação da Palavra de Deus, abraçando com denodo a penitência. Assumiu como bandeira o serviço ao próximo pela caridade.

Foi mesmo em seu espírito de serviço que usou toda sua altura e fortaleza para atravessar pessoas de uma margem a outra do rio. Certa feita, ao tomar nos ombros um leve menino, este começou a pesar tanto que o gigante de Deus precisou apoiar-se num cajado para atravessá-lo, quando ouviu do menino: “Muito mais que o mundo inteiro: tu carregaste O Senhor do Mundo. Sou Jesus a quem tu serves”. Transportamos o próprio Cristo que se abriga no dom de nossas vidas. Devemos nos ater ao seu exemplo de solidariedade, como fórmula para a construção de um mundo de paz.

Cristóvão, que caminhou como gigante nos caminhos da virtude, testemunhando com o próprio sangue seu batismo, há de nos livrar de todos os perigos e acidentes nas viagens que empreendemos nas estradas desta existência, até chegar o momento da última e definitiva viagem que faremos até a Casa do Pai.
Que todos percorramos com cautela seu caminho e preservem a segurança, indo ao trabalho ou ao descanso, tenhamos sempre como companheiro de viagem o próprio Jesus que afirmou: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). É assim que celebraremos o dia 25 de julho como o dia dos MOTORISTAS!