“Só no Espírito Santo somos Cristãos autênticos”

Quando Barnabé, o enviado da igreja de Jerusalém, chegou a Antioquia, logo se alegrou ao ver a graça de Deus naquele povo e a todos ele exortava a perseverar no Senhor com firmeza de coração. Sem dúvida essa comunidade foi fiel à exortação do discípulo, pois naquela terra é que a marca, o selo de cristão foi dado aos discípulos e a todos que os acompanhavam.

Temos, portanto, a grande honra de sermos cristãos, e mais que uma denominação é uma missão que a exemplo dos apóstolos e das primeiras comunidades somos convidados a abraçar e viver. E nos dois capítulos de Atos dos Apóstolos, 11 e 12, a confiança e entrega do apóstolo Pedro é digna de destaque. No capítulo 11 se relata que os pagãos também haviam se convertido a partir das palavras de Simão Pedro que se deixou ser usado pelo Espírito Santo. No decorrer dos versículos Simão explicita o ocorrido aos seus irmãos de Jerusalém, que o interrogavam por ter ele entrado na casa de pagãos e ele consegue convencer os seus companheiros da razão de ser comunidade, de serem cristãos: levar a palavra, o batismo no Espírito Santo aos que não conhecem o Senhor, pois a promessa é para todos.

Os apóstolos e seguidores continuavam a anunciar e converter multidões por onde passavam e, com isso, incomodavam os poderosos. Dessa forma, o capítulo 12 fala da perseguição do rei Herodes aos membros da igreja. Ele mata Tiago e manda prender Pedro. Os versículos seguintes vão descrever o cárcere do apóstolo que dormia na véspera de sua morte. A certeza de estar cumprindo o que Senhor lhe pedira, o abandono, a confiança de Pedro chama muita atenção. Só alguém muito convicto do que acredita e tranqüilo consegue dormir sabendo que poderia morrer na manhã seguinte.

Como cristão temos que ter essa confiança de Pedro, pois se Deus é por nós, quem será contra nós?! Tanta entrega deve ter tocado o coração do Pai, pois na mesma madrugada o anjo do Senhor salvou Simão Pedro da prisão e morte. Ele, depois de refletir sobre o acontecido foi ao encontro dos seus irmãos que se achavam em oração por ele, como narra o versículo “5b”: “Mas a Igreja orava sem cessar por ele a Deus”. Aí temos a importância da oração e intercessão dos irmãos uns pelos outros, irmãos que se uniram para rezar na dificuldade, mas que puderam partilhar também em família da alegria de ver Pedro vivo na frente deles à porta da casa onde se encontravam.

Verdadeiras famílias, Grupos de Oração cujos membros se conhecem, se ajudem, se amem. O Senhor nos dá a missão de anunciar, de sermos cristãos, de olharmos para esses capítulos de Atos e repetirmos nos dias de hoje as atitudes daqueles que, como nós, foram chamados a carregar a bandeira de Cristo. Só faz sentido ser cristão se olharem para nós e dizerem “Vede como eles se amam”, e mais, se isso tocar o coração dos que não conheciam o Senhor e os fizerem ser cristãos também.

“Quando o Espírito Santo intervém, Ele muda radicalmente a vida e a história das pessoas.” Papa João Paulo II

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.